Programação Funcional em PHP

Programação Funcional em PHP como aplicar.

Bem… PHP não é uma linguagem  funcional, mas algumas técnicas da programação funcional podem ser utilizadas para melhorar o nosso código: melhor legibilidade e tornar mais fácil a manutenção do mesmo são vantagens que adquirimos ao usar o paradigma funcional de programação.

Por vários anos o desenvolvimento em PHP foi de modo procedural, tudo em um único arquivo com funções espalhadas por vários lugares. Depois da versão 5 foi possível escrever as aplicações php orientada a objetos.

A ideia é utilizar o melhor de cada paradigma seja Orientação a objetos ou funcional, fazer uma fusão de ambos um exemplo disso são as linguagens Scale, Kotline e também TypeScript que pode ser chamado de“Object-Functional”.

Programação funcional e PHP funcional:

Um resumo de como é a programação funcional:

Evita mudança de estado.

Uma vez que um objeto é criado, nunca será alterado. Não existem variáveis como as que usamos no PHP.

Usa sistema de tipagem complexa.

Um tipo é um classificador para um valor ele nos dá a informação sobre o que será aquele valor no tempo de execução. Produzem funções, por exemplo, com mais verbosidade(como você pode ver o que a função espera e que resultado retornará), mas como recompensa para isto, é que elas podem detectar erros no momento de compilação na sua IDE enquanto estamos escrevendo.

Funções puras x impuras

Funções puras:

Não existem globais; valores não são passados por referências;

Não tem efeitos colaterais;

Não utiliza nenhum tipo de estrutura de repetição (for, while, foreach…)

Funções impuras:

  • Alterações de variáveis globais;
  • Podem modificar parâmetros de entrada;
  • Podem lançar exceções;
  • Podem fazer qualquer operação de I/O(como usar a conexão com o banco de dados, redes ou arquivos);
  • Podem ter efeitos colaterais;
  • Vamos ver alguns exemplos práticas de programação funcional em php.

Evitando variáveis temporárias

Sem variáveis temporárias nós evitamos ter um if local o qual pode gerar um resultado indesejado.

Nós podemos remover a variável temporária retornando diretamente o status:

A última refatoração remove o if e finalmente temos o padrão funcional.

Funções pequenas:

Elas devem seguir o padrão de responsabilidade única: fazer apenas uma única coisa.

Isso significa que elas são fáceis de testar.

Elas podem ser compostas.

Nós poderíamos mudar e o resultado seria o mesmo:

`echo sum(7, sum(5, 5));

// 17

Isso é chamado de referência transparente; uma função que pode ser substituída pelo seu resultado e o resultado final não é alterado.

Remova os ifs

Isto pode ser um pouco difícil quando nós estamos acostumados a escrever de uma forma imperativa.Neste exemplo, calcula o produto de um valor em um array. Para fazer nós usamos alguns agregadores e um loop para itera-lo.

Em casos como este, que existe alguma ação repetitiva o if pode ser removido com a recursão.

Este exemplo é bem simples e seria melhor resolvê-lo com reduce:

`echo array_reduce([5, 3, 2], function($total, $item) {

return $total * $item;

}, 1);

// 30

Nossas funções php geralmente precisam de uma entrada de recursos externos para o seu produzir o seu retorno. Isso pode dificultar o uso de funções puras. Nesses casos, nós devemos separar o código puro de um não puro. Por exemplo: Usando o codigo de php.net para a leitura de um arquivo.the HTML source of a URL.

Lê o conteúdo de um site externo (entrada externa) e mostra o resultado no console.(saída externa) Podemos fazer alguma mudança com a programação funcional neste caso? Com certeza, vamos dividir o código em duas funções diferentes.

print_r(formatLines(getFileContent(‘https://www.google.com/’)));

O Resultado é o mesmo, mas agora nós temos 2 funções:

Uma função impura: (getFileContent) que é facilmente simulada no nosso teste.

Uma função pura: (formatLines) que sempre retorna o mesmo resultado e que é simples fazer um teste unitário.

Não use loops para iterar arrays

Nós precisamos fazer uma iteração nos elementos de um array para alterar cada um dos seus conteúdos. Exemplo: Recebemos uma lista de usuários do banco de dados e precisamos retornar o modelo que a nossa aplicação espera.

De uma forma imperativa nós fazemos algo assim: usamos o foreach para dizer o que o computador deve fazer.

Em estilo mais funcional seria:

Usamos o array_map ao invés do foreach e criamos uma função pura que o único propósito é converter o formato do usuário. Esta versão é muito mais legível que as anteriores.

Filter

Iterando em um array, mas retornando apenas os elementos que atendem a uma condição.

Na lista de usuário nós queremos exibir apenas aqueles que vivem em Barcelona. Novamente nós precisamos percorrer todo o array e checar a cidade de cada um.

Ou poderíamos pegar apenas os usuários de Barcelona

Este código é muito mais simples e fácil de ser testado sem variáveis temporárias nem foreach + if loops.

Reduce / fold

Reduz um array e retorna seu valor.

Agora nós queremos calcular a média dos filhotes na cidade de Barcelona. Iteramos os usuários de Barcelona e calculamos os números de filhotes.

Ou nós podemos somar o número de filhotes.

Usando pipelines

Vamos agrupar todas as condições

echo getAvgPetsReduce(getUsersFromBcn(findUsers()));

Laravel collection

Se nós tivermos múltiplas condições nós podemos fazer uma grande linha que pode ser difícil a leitura. Infelizmente, para resolver este problema, não temos um recurso nativo em PHP. Felizmente, existem algumas boas bibliotecas para usar pipelines.

Laravel é um framework que tem um grande biblioteca para trabalhar com arrays, o qual são chamadas de collections e pode ser usada fora do laravel, instanciada via composer.

Usando esta biblioteca, os objetos são imutáveis e o código é mais legível e mais declarativo.

Usando nosso exemplo da média de filhotes em Barcelona seria:

A ordem das ações é muito clara.

1 Converter os usuários;

2 Filtrar por somente aqueles que são de Barcelona;

3 Pegar a lista de filhotes por usuários;

4 Obter a média (método da biblioteca que faz o reduce + cálculo da média);

Conclusão PHP Funcional:

PHP, não é 100% funcional e mudamos a maneira de programar para o modo funcional e não é uma tarefa fácil. Podemos começar aplicando alguns desses simples princípios e tornando o nosso código mais simplificado, mais legível, testável e com poucos efeitos colaterais. Nós podemos pensar de forma mais declarativa e passo a passo nós seremos mais funcionais.

Fim do artigo: o texto original você pode conferir no endereço do autor:

Caso você encontre algum erro na tradução, por favor entre em contato 🙂

Siga e compartilhe:
error

Deixe um comentário

Enter Captcha Here : *

Reload Image